Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

Miss Margery Withers, a bibliotecária do Rei D.Manuel II

18.05.15, Blog Real

margery.png

Amante indiscutível de livros, D. Manuel II, o último rei de Portugal, dedicou os seu anos de exílio em Londres aos estudos e à escrita de obras que ainda hoje são uma importante fonte para a história contemporânea de Portugal.
 
Numa primeira fase dedicou-se à sua biografia onde contrata os serviços do bibliófilo Maurice Ettinghausen em 1919 para o auxiliar na procura dos livros antigos que necessitava. 
 
Com o crescimento da sua biblioteca pessoal, o rei acaba por abandonar a ideia da biografia e dedica-se à descrição de todos os livros antigos de sua biblioteca.
 
É aqui que é aconselhado por amigos a contratar Miss Margery Withers, uma jovem bibliotecária britânica, para organizar e catalogar o seu espólio. Os livros amontoavam-se em todos os móveis e mesas da sala, e Miss Margery não teve mãos a medir. Todos os dias de manhã, bem cedo, iniciava o seu trabalho intenso com o rei D. Manuel II, e assim se mantinha até à sua hora de saída, pelas 16:00.
 
A sua proximidade à família real acabam por revelar uma amizade profunda, que faz com que Margery aprenda a língua portuguesa, e acompanhe a família real nos almoços e nos eventos sociais.
 
É também Miss Margery que após a morte prematura do rei, publica o terceiro volume da sua obra, e nos conta como foram os últimos anos do monarca português, no documentário da RTP1 de 1997 "O Lugar da História: D.Manuel II, o último rei de Portugal".
 
Miss Margery nasceu no dia 23 de Outubro de 1905 na Patagónia, Argentina, e faleceu no dia 6 de Setembro de 1999 no Reino Unido.

Honras de Parente da Casa Real

12.05.15, Blog Real

Honras de Parente da Casa Real (abreviado Honras de Parente) foi uma distinção honorífica de primeira grandeza concedida pela Coroa Portuguesa a títulos nobiliárquicos.

Hierarquia:

As Honras de Parente eram hierarquizadas em tratamento de tio, sobrinho e primo d´el-Rei.

Eram as seguintes as distinções integradas nas Honras de Parente:

  • Honras de Parente da Casa Real com tratamento de tio d´el-Rei (honra máxima, apenas usada pelo Ducado de Bragança antes da ascensão ao trono);
  • Honras de Parente da Casa Real com tratamento de sobrinho d´el-Rei;
  • Honras de Parente da Casa Real com tratamento de primo d´el-Rei.

Os detentores de tais honras gozavam de precedência sobre os demais titulares. Assim, por exemplo, os marqueses com Honras de Parente tinham precedência sobre os demais marqueses, mas também um conde com Honras de Parente tinha precedência sobre todos os titulares sem esta distinção, ainda que fossem duques ou marqueses. Os títulos hierarquizavam-se segundo os seguintes critérios de precedência:

  • Honras de Parente
  • Grau (Duque, Marquês, Conde, Visconde ou Barão)
  • Juro e herdade (em detrimento dos títulos vitalícios)
  • Antiguidade

Por lei o detentor de Honras de Parente detinha, por inerência, Honras de Grandeza. Contudo as Honras de Parente apenas foram concedidas a títulos de Duque, Marquês e Conde, títulos que já implicavam de per si direito a Honras de Grandeza.

Títulos com Honras de Parente:

Duques:

Marqueses:

Condes: