Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia do Norte

30.10.17, Blog Real
Após o assassinato de Sidónio Pais, a 14 de Dezembro de 1918, os monárquicos 
portugueses aproveitaram a situação de instabilidade vivida no País 
para redobrar as suas acções no sentido de restaurar o regime derrubado a
 5 de Outubro de 1910. 
Assim, a 19 de Janeiro de 1919, a Junta do Norte proclamou, no Porto, a restauração da Monarquia, anunciando a constituição de uma Junta Governativa. 
Esta era constituída por Henrique de Paiva Couceiro, que, além de presidente, tinha a seu cargo a pasta da Fazenda e Subsistências; 
António Adalberto Sollari Allegro, 
com a pasta do Reino; o visconde do Banho, encarregado dos Negócios Eclesiásticos, da 
Justiça e da Instrução; na Guerra e Comunicações, João de Almeida; nos
Negócios Estrangeiros, Luís de Magalhães; nas
Obras Públicas, Correios e Telégrafos, Artur da Silva Ramos; e na Agricultura, 
Comércio e Indústria e Trabalho, o conde de Azevedo.A proclamação da Junta do Norte gerou focos de resistência ao poder 
republicano em vários pontos do País.
No Norte, os republicanos foram perseguidos e presos, sendo utilizado o Eden-Teatro do Porto como local ondedecorriam os interrogatórios.
A 23 de Janeiro, seguindo os passos dos monárquicos do Norte, os monárquicos de Lisboa 
concentraramse em Monsanto, acabando, porém, por ser vencidos em pouco tempo. 
Os monárquicos do Norte, porém, mantiveram posições durante perto de um mês, dominando a quase totalidade do Minho e Trás-os-Montes, e ainda parte dasBeiras. A revolta caiu a 13 de Fevereiro, com a entrada no 
Porto das tropas fiéis à República.
Monarquia do Norte. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012.

Paiva Couceiro - proclamou a monarquia no Porto, tornando-se presidente da respetiva Junta Governativa.

Duquesa de Bragança presente em iniciativa para o Banco do Bebé

30.10.17, Blog Real

A convite das Produções Boa Nova by AMDG Productions, o Banco do Bebé beneficiou de uma iniciativa de angariação de fundos para a sua causa. Como já é habitual, D.  Isabel de Bragança, presidente da Assembleia Geral da instituição, marcou presença nesta noite de espetáculo e assistiu ao musical  A Caminho – Todos Temos uma História . Antes disso, reservou alguns minutos para falar sobre esta sua caminhada no Banco do Bebé.  “Esta aventura tem corrido bem. Tenho visto a instituição a crescer, a fazer um serviço extraor­dinário. Para além das vitaminas, das roupas, da assistência que dá às mães, aos bebés e às famílias, essa assistência continua em casa” , explicou a duquesa de Bragança, adiantando:  “Acho que há cada vez mais pessoas a precisar. Em Portugal temos muita pobreza envergonhada, infelizmente nascem cada vez menos bebés, mas as necessidades não param de crescer. Uma obra de caridade é inversamente proporcional a uma empresa: quanto mais uma empresa cresce, mais tem; uma obra de caridade, quanto mais cresce, mais precisa.” 
Opinião partilhada por Maria da Assunção Masca­renhas, a atual presidente do Banco do Bebé.  “Temos uma equipa fantástica, sempre com a Marina [Arnoso] a ajudar. Estamos a ir por um ótimo caminho e precisamente por isso precisamos cada vez de mais ajuda.”

Fonte:  Caras

Pág. 1/3