Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

Funeral de Dona Maria Francisca de Orléans e Bragança

19.09.19, Blog Real

Cerimónias fúnebres de Dona Maria Francisca de Orléans e Bragança, princesa de Orléans e Bragança. bisneta do imperador Dom Pedro II do Brasil, e mãe de D.Duarte Pio, Duque de Bragança, com a presença de membros da família real e do governo português na Sé Catedral de Lisboa.

Estiveram presentes Dom Duarte Nuno de Bragança, Dom Duarte Pio de Bragança, António Vitorino França Borges, Dom Henrique de Bragança, César Henrique Moreira Baptista, António Maria dos Santos da Cunha, Alberto Marciano Gorjão Franco Nogueira, Vera Machado Wang, Fernando Santos Costa, José Gonçalo Correia de Oliveira, Luís D'Orey Pereira Coutinho e o Rei Juan Carlos de Espanha.

Pode ver o vídeo aqui.

Irmandade de Santa Joana acolhe membros honorários

16.09.19, Blog Real

A Irmandade de Santa Joana Princesa, em Aveiro, agendou para 22 de Setembro, Domingo, às 15:00, na Igreja de Jesus, as investiduras como ‘Irmãos honorários’ de Santa Joana de Afonso de Santa Maria e Maria Francisca de Bragança (filhos dos Duques de Bragança) e, a título póstumo, de D. Manuel de Almeida Trindade e de Querubim do Valle Guimarães .

Na sessão, presidida pelo bispo de Aveiro, D. António Moiteiro será lembrada, especialmente, a figura de D. Manuel de Almeida Trindade, bispo de Aveiro entre 1962 e 1988, “que muito contribuiu para a dinamização do culto a Santa Joana, nomeadamente através da concessão obtida junto do papa Paulo VI em declarar a Infanta como Padroeira da Cidade e da Diocese de Aveiro e a instituição, em 1987, da Comissão Administrativa da Irmandade, que lhe imprimiu inegável dinamismo.

Querubim do Valle Guimarães, que foi deputado no Congresso Republicano (pela minoria monárquica) e na Assembleia Nacional, exerceu funções como Lugar-tenente de D. Manuel II, Presidente da Comissão Pro-restauração da Diocese e, entre outras Provedor da Irmandade de Santa Joana Princesa,durante 35 anos (1935-1970).

A Irmandade lembra que “é secular” a ligação do antigo Mosteiro de Jesus aos reis de Portugal. Foi D. Afonso V, quem lançou a primeira pedra do cenóbio e aí veria entrar em recolhimento a sua filha D.ª Joana.

“Porém, seria a Casa de Bragança que, de forma determinante, faria brilhar o culto à protectora de Aveiro, particularmente nos processos de beatificação e canonização, bem como na construção do Túmulo de Santa Joana e enriquecimento de vários locais do Mosteiro”, refere uma nota de imprensa.

A Irmandade fará descerrar na sacristia da Igreja de Jesus uma placa alusiva aos seus juízes perpétuos e aos novos Irmãos de honra, fazendo “memória da sua matriz e trazer presente, junto dos representantes da Casa de Bragança, o desejo de continuidade da ligação desta família ao culto à Padroeira de Aveiro”.

A sessão terá a colaboração do Coral Vera-Cruz e terminará com a deposição de uma coroa de flores junto do Túmulo de Santa Joana e oração pro-canonização.

D.Duarte, Duque de Bragança e D.Dinis na celebração judaica em Nova Iorque

15.09.19, Blog Real

O Duque de Bragança foi convidado para a celebração judaica em Nova Iorque. Dom Duarte, Duque de Bragança e o seu filho, Dinis, Duque do Porto, acabam de regressar de Nova Iorque, onde assistiram a uma série de eventos especiais a convite da comunidade sefardita para assinalar o aniversário da sinagoga histórica e a restauração da sua Torá.

 

Fonte: Facebook Fundação Dom Manuel II

Francisco António Martins Bastos, professor dos filhos da rainha D. Maria II

14.09.19, Blog Real

Francisco António Martins Bastos (Lisboa (São Julião), 1799 — 1868) foi um poeta e latinista português, autor de uma vultuosa obra sobre a poesia latina e escritor de nomeada. Foi professor dos filhos da rainha D. Maria II.

Foi contratado em agosto de 1847 como professor de Latim de Pedro e de Luís, que se iniciavam então no estudo da língua. Recebeu da rainha a ordem de não ter com eles “consideração alguma particular” e de lhes dar aulas sentado.

Deslocava-se ao Paço das Necessidades três vezes por semana. Nesse mês a família real estava em Lisboa, mas usualmente mudava-se para Sintra (Paço da Vila) entre julho e setembro, com uns dias em Mafra. Nessa altura, os mestres iam também dar as aulas, tanto a Sintra como a Mafra, mas só uma vez por semana. Martins Bastos afirma que foi ele que iniciou os exames dos infantes perante os pais e pessoas da corte, em abril de 1848. Depois tornaram-se regulares a todas as disciplinas e realizavam-se em dezembro.