Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

Rainhas de Portugal - Beatriz de Castela

28.10.19, Blog Real

Beatriz de Castela (Toro, 8 de março de 1293 - Lisboa, 25 de outubro de 1359) foi uma infanta do Reino de Castela e Leão e rainha de Portugal entre 1325 e 1357.

Era filha do rei Sancho IV de Leão e Castela com Maria de Molina. Teve seis irmãos, entre os quais o rei Fernando IV de Castela, e Isabel, esposa de Jaime II de Aragão e depois de João III, duque da Bretanha.

Em 12 de setembro de 1309 casou-se com o herdeiro do trono português, o qual ascendeu ao poder em 1325 como D. Afonso IV.

As rainhas de Portugal contaram, desde muito cedo, com os rendimentos de bens, adquiridos, na sua grande maioria, por doação. Esta rainha D. Brites (Beatriz) recebeu em doação a vila de Viana do Alentejo. De D. Dinis recebeu, como dote, Évora, Vila Viçosa,Amarante, Vila Real, Gaia e Vila Nova, estas duas últimas trocadas por Sintra em 1334. Dispunha ainda de herdades em Santarém e da lezíria da Atalaia (1337) e, através de mercê do seu filho D. Pedro, de Torres Novas (1357).

Descendência:

Do seu casamento com D. Afonso IV de Portugal cognominado "o Bravo", sétimo rei de Portugal, nascido em Lisboa a 8 de fevereiro de 1291 e falecido na mesma cidade a 28 de maio de 1357, filho que foi do rei D. Dinis I de Portugal e de sua mulher a Rainha Santa Isabel, princesa de Aragão, nasceram:

  1. Maria de Portugal (Coimbra, 1313 - Évora, 1357), casada em 1328 na localidade de Sabugal, Alfaiates com o rei Afonso XI de Castela, (13 de agosto de 1311 - 26 de março de 1350) a «Fermosíssima Maria» referida por Luís de Camões n'Os Lusíadas.
  2. Afonso de Portugal (Coimbra, Penela, 1315), nado-morto à nascença.
  3. Dinis de Portugal (12 de janeiro de 1317-1318), morreu na infância.
  4. Pedro I de Portugal (Coimbra, 8 de abril de 1320- Évora, Estremoz de 1367), sucessor do pai no trono português.
  5. Isabel de Portugal (21 de dezembro de 1324 - 11 de julho de 1326), morreu na infância.
  6. João de Portugal (23 de setembro de 1326 - 21 de julho de 1327), morreu na infância.
  7. Leonor de Portugal (Coimbra, 1328 - Jérica ou Teruel, Aragão, outubro de 1348), casada em 1347 com o rei Pedro IV de Aragão (Balaguer 1319 - Barcelona 5 de janeiro de 1387).

Ana Catarina Henriqueta de Lorena, aia da Rainha D.Maria I e camareira-mor da Rainha Mariana Victoria

28.10.19, Blog Real

Ana Catarina Henriqueta de Lorena foi Aia da Rainha D. Maria I de Portugal e das suas irmãs, D. Maria Ana, D.Maria Francisca e D. Maria Francisca Benedita.

Dona Ana Maria Catarina Henriqueta de Lorena era a filha mais velha de D. Rodrigo Anes de Sá Almeida e Meneses, 1.º marquês de Abrantes e 7.º conde de Penaguião.

O seu irmão mais novo, D. Joaquim Francisco de Sá Almeida e Meneses, sucedeu ao pai como 2.º marquês de Abrantes mas, dado que morreu sem descendência em 1756, D. Ana Maria herdou o património e títulos familiares, tornando-se 3.ª marquesa de Abrantes e 9.ª condessa de Penaguião.

Ainda durante a vida de seu irmão, por um decreto do rei D. José I de Portugal de 9 de Dezembro de 1753, foi feita duquesa de Abrantes, uma vez que fora nomeada camareira-mor da rainha Mariana Victoria, o mais alto cargo palatino ocupado por uma mulher.

Como apelido de família usou Lorena, nome que lhe vinha da sua avó materna, Marie Angelique Henriette de Lorena (filha de François Louis de Lorena, conde de Harcourt).

Ana Maria casou com D. Rodrigo de Melo (1688-1713), segundo filho de D. Nuno Álvares Pereira de Melo, 1.º duque do Cadaval. Tiveram uma única filha, Maria Margarida de Lorena (que se tornou na 2.ª duquesa de Abrantes), que casou com o seu tio (irmão de D. Ana Maria), D. Joaquim Francisco de Sá Almeida e Meneses, 2.º marquês de Abrantes.

Bernarda Maria Rosa de Almeida, ama da Rainha D.Maria I

28.10.19, Blog Real

Bernarda Maria Rosa de Almeida foi Ama de Leite da Rainha D. Maria I de Portugal, mãe de D. João VI. Foi, ainda Dama Particular da Rainha D.Maria Ana Victória, esposa de D. José I, os pais da Rainha D. Maria I.
Bernarda faleceu no Pátio das Vacas, em Belém, Lisboa, onde residia, a 21.01.1767 (N.S. da Ajuda, 6.º, 135) - e foi sepultada na Igreja de Nossa Senhora da Boa Hora, junto do Altar de Santana.
O Rei D. José I estimava-a tanto, que lhe mandou edificar umas casas baixas, de quatro vãos, junto da Real Quinta de Belém, no dito pátio das Vacas, e a honrava com a sua visita.
Bernarda foi casada com Leandro José Lobo de Ávila, moradores no pátio das Vacas, em Belém, Lisboa.

Madalena Josefa de São Pedro de Alcântara, ama do Rei D.Pedro IV

28.10.19, Blog Real

Madalena Josefa de São Pedro de Alcântara foi a 1.ª Ama de Leite do Rei D. Pedro IV (Imperador Pedro I do Brasil), e de sua irmã, a Infanta D. Isabel Maria.
Era natural de Caparica e casou com José Amâncio Duarte de Lima, que foi Moço da Prata, e Reposteiro no Rio de Janeiro, onde morreu. Cavaleiro da Ordem de Cristo.
Madalena Josefa tinha uma filha, Gertrudes Urbana da Lima e Vasconcelos.

Genoveva Margarida de Santa Ana Rocha, ama do Rei D.Miguel I

28.10.19, Blog Real

Genoveva Margarida de Santa Ana Rocha foi a 1.º Ama-de-Leite do futuro Rei D. Miguel I de Portugal; da Princesa da Beira D. Maria Teresa, e das Infantas D. Maria Isabel e D. Ana de Jesus Maria.
Genoveva era natural do Campo Grande, mulher de Antonio Bento da Rocha.
Foi ainda a responsável por toda a criação da Princesa D. Maria Teresa, e das Infantas D. Maria Isabel e Ana de Jesus Maria.

Francisca Rosa de Avelar, ama do Rei D.João VI

28.10.19, Blog Real

Francisca Rosa de Avelar foi a última Ama de Leite de D. João VI. Foi também Ama de Leite da Infanta D. Mariana Vitória, irmã do Rei D. João VI.
Francisca Rosa de Avelar era irmã do Botânico Dr. Felix de Avelar Brotero, filhos de José da
Silva Pereira e Avelar, médico pela Universidade de Coimbra, e de Maria Rennée da Encarnação.
Foi mãe do Beneficiado da Patriarcal, o Padre José de Avelar Brotero, e tia-avó de José Maria de Avelar Brotero, chefe da família Brotero, no Estado de São Paulo.

Constança Inácia, Ama do Rei D.Pedro IV (Imperador D. Pedro I)

28.10.19, Blog Real

Constança Inácia foi Ama do Rei D.Pedro IV (Imperador D. Pedro I) e da Infanta D. Maria da Assunção, irmã do citado Imperador.
Por ocasião do impedimento de Madalena Josefa de São Pedro de Alcântara, 1.ª Ama- de Leite da Infanta D. Isabel Maria, irmã do Rei Pedro IV deveria substituí-la a 2.º Ama de Leite, Iria Teresa da Silva, a primeira da lista das Amas de Leites escolhidas para ficarem na reserva, justamente para a eventualidade do impedimento da primeira. Iria amamentou D. Isabel Maria apenas por dois dias e, na ordem natural de sua substituição, deveria assumir a Ama-de-Leite Maria Bonifácia de Loures
que, no entanto, foi excluída desta função, para que pudesse assumir Constança Inácia, então Ama de Leite do Príncipe D. Pedro, futuro Rei D. Pedro IV. Constança Inácia também foi Ama-de-Leite da
Infanta D. Maria da Assunção.
Foi casada com João Lopes, de São Macário, termo da Vila de Almada.

Mariana Xavier Botelho, Camareira-Mor da Rainha D. Maria I e Aia do Rei D. Pedro IV, e de todos os seus irmãos

28.10.19, Blog Real

Mariana Xavier Botelho (nascida em 02.07.1743, e falecida em 20.06.1821) foi Camareira-Mor da Rainha D. Maria I, mãe do Rei D. João VI. Foi Aia do Rei D. Pedro IV (Imperador Pedro I do Brasil), e de todos os seus irmãos: D. Maria Teresa, D. Antonio Pio, D. Maria Isabel, D. Maria Francisca, D. Isabel Maria, D.Miguel, D. Maria da Assumpção, e D. Ana de Jesus.
Era filha de Álvaro José Xavier Botelho de Távora e de Luiza do Pilar e Noronha.
Em 1811 residia no Paço da Família Real, na Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, onde ainda encontrava-se residindo em 1816.
Foi asada com Pedro José de Melo Homem.

Nota: Nos documentos referentes ao serviço desta Dama, sempre aparece o nome de Mariana Xavier Botelho, Marquesa de São Miguel. No entanto, alguns outros estudos genealógicos a chamam de Margarida Xavier Botelho.