Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

Biografias - Joana de Áustria, Princesa de Portugal

19.12.19, Blog Real

Juana_de_Austria,_por_Alonso_Sánchez_Coello.jpg

Joana de Áustria, Joana de Espanha ou ainda Joana de Habsburgo (em castelhano: Juana de Austria; Madrid, 24 de junho de 1535 — El Escorial, 7 de setembro de 1573) foi uma infanta espanhola, arquiduquesa de Áustria e Princesa consorte de Portugal, quarta filha do casamento do imperador Carlos V (Carlos I de Espanha) com Isabel de Portugal.

Primeiros anos:

Nascida na corte real de Madrid, Joana era filha de Carlos I de Espanha e sua esposa Isabel de Portugal. Portanto, seus avós paternos eram Filipe I de Castela e Joana de Castela, e seus avós maternos eram Manuel I de Portugal e Maria de Aragão. Ela era irmã do rei Filipe II de Espanha e Maria da Áustria.

Entre outros, Joana possuía os títulos de arquiduquesa da Áustria, infanta de Castela e Aragão e princesa de Borgonha.

Nomeada para o dia do santo de seu nascimento (24 de junho é a Natividade de São João Batista) e em homenagem a sua avó paterna, Joana de Castela, Joana da Áustria ficou sem mãe aos quatro anos de idade e foi confiada a Dona Leonor de Mascareñas. Aos oito anos, ela conseguia entender latim e tocar vários instrumentos musicais.

Princesa de Portugal:

Em 11 de janeiro de 1552, aos dezessete anos, casou-se com seu primeiro primo duplo, o príncipe herdeiro de quinze anos de idade, João Manuel de Portugal, por procuração em Toro. Ela chegou à corte portuguesa em novembro de 1552.

O casamento foi interrompido quando João Manuel morreu de tuberculose aos dezesseis anos em 2 de janeiro de 1554. No entanto, Joana estava grávida naquela época, e o futuro rei português Sebastião I nasceu em 20 de janeiro de 1554.

Joana voltou à Espanha em maio de 1554, a pedido de seu pai, deixando seu filho recém-nascido com sua sogra, a rainha portuguesa Catarina de Áustria, que era a irmã mais nova de Carlos.

Volta a Espanha:

Logo após o nascimento de Sebastião, Joana foi chamada de volta a Madrid por seu irmão Filipe para atuar como regente durante sua ausência na Inglaterra a partir de 1554. Ela ocupou esse papel com inteligência e eficiência. Joana nunca se casou e nunca voltou a Portugal. Ela nunca mais viu seu filho Sebastião, embora tenha mandado cartas e retratos dele pintados em várias idades para que ela pudesse ver como ele era.

Em 1557, Joana fundou o Convento de Nossa Senhora da Consolação para as monjas da Ordem das Clarissas, também conhecidas como Clarissas Descalças, porque não usavam sapatos cobertos só andava descalço ou em sandálias, agora conhecido como Convento de Las Descalzas Reales, ou convento da realeza descalça, em parte devido à sua afiliação e que o convento continuava atraindo mulheres aristocráticas como freiras. Este convento é agora um monumento nacional e possui uma coleção de arte. Foi fundada no palácio real onde Joana nasceu e onde Carlos V viveu em Madrid.

Joana interveio repetidamente em favor da nova Ordem dos Jesuítas, fundada por Inácio de Loyola. Em 1555, acredita-se que ela tenha sido admitida clandestinamente na ordem jesuíta masculina, sob o nome de um pseudônimo, Mateo Sánchez.

O seu desaparecimento, em 1573, logo seguido pelo do Rui Gomes da Silva, príncipe de Éboli, ditou o fim da relativa tolerância que até então fora vivida. O seu sepulcro, obra de Pompeo Leoni, que trabalhava em El Escorial, está no convento das Descalças.

Faleceu no dia 7 de setembro de 1573 e foi sepultada no Convento das Salésias Reais, Madrid, Espanha

Biografias - João Manuel, Príncipe de Portugal

19.12.19, Blog Real

800px-John,_Prince_of_Portugal_(c.1552-4)_-_Anthonis_Mor.png

João Manuel, príncipe herdeiro de Portugal, (Évora, 3 de junho de 1537 — 2 de janeiro de 1554) foi o oitavo filho do rei D. João III e da sua mulher, a rainha D. Catarina de Áustria.

Vida:

D. João Manuel nasceu a 3 de junho de 1537 no Palácio de Dom Manuel em Évora e tornou-se herdeiro do trono de Portugal em 1539. Sobreviveu aos seus quatro irmãos mais velhos que morreram na infância, mas ele era um adolescente doentio. Acredita-se que os sucessivos casamentos entre as casas da Espanha e de Portugal tenham alguma responsabilidade por sua saúde precária. Em 1552 ele se casou com a princesa Joana de Áustria, outra princesa espanhola, sua prima direita pelos lados paterno e materno, pois seus pais eram primos direitos, netos dos reis católicos. Joana era filha do imperador Carlos V, irmão da rainha D. Catarina e da Imperatriz Dona Isabel, irmã de Dom João III.

Morte:

D. João Manuel morreu do que as fontes chamam de consumo, que pode se referir à tuberculose, em 2 de janeiro de 1554, mas alguns historiadores acreditam que sua morte ocorreu como resultado de diabetes, uma doença que ele pode ter herdado de seu avô materno Filipe I. Dezoito dias depois nasceu um filho póstumo do seu casamento: o futuro rei D. Sebastião I de Portugal.

Foi sepultado no Mosteiro dos Jerónimos.

Descendência:

Com Joana de Áustria, Princesa de Portugal teve um filho:

  • D. Sebastião de Portugal (1554 – 1578), rei de Portugal;

Rainhas de Portugal - Catarina da Áustria

19.12.19, Blog Real

Infanta_Caterina_of_Spain.jpg

Catarina de Áustria, Catarina de Habsburgo ou, mais raramente, Catarina de Espanha (em castelhano: Catalina de Austria; Torquemada, 14 de janeiro de 1507 - Lisboa, 6 de fevereiro de 1578) foi arquiduquesa da Áustria, infanta de Espanha e rainha de Portugal como esposa de D. João III.

Família:

Era filha de Joana de Castela, descrita pelos seus opositores como "Louca", a rainha de Espanha, e de Filipe, o Belo, arquiduque da Áustria e Duque da Borgonha.

Teve cinco irmãos, entre os quais os imperadores romano-germânicos Carlos V da Alemanha e Fernando I de Habsburgo; Isabel, esposa de Cristiano II da Dinamarca; Maria, esposa do rei Luís II da Hungria e da Boémia; e ainda Leonor de Áustria, sua predecessora enquanto rainha de Portugal (foi casada com D. Manuel I embora prometida a D. João III) e ainda rainha de França. Teve como tias maternas Catarina de Aragão, rainha consorte da Inglaterra, mãe da Rainha Maria I; Maria de Aragão e Castela, sua sogra; a gémea de Maria, Ana, natimorta; e Isabel de Aragão, que tinha sido a primeira esposa de D.Manuel I. Teve apenas um tio materno, João, Princípe das Astúrias, casado com a sua prima terceira, Margarida de Áustria.

Biografia:

Depois da morte do pai, em 1506, sua mãe foi encarcerada em Tordesilhas como louca e Catarina acompanhou-a, acabando por ser libertada graças à intervenção de seu irmão, o imperador Carlos V.

Em 5 de Fevereiro de 1525 casou-se com o rei João III de Portugal, tornando-se rainha consorte até à morte do esposo em 1557. Foi mãe da infanta Maria Manuela e do Príncipe João e avó do rei D. Sebastião. Durante a menoridade do neto, exerceu a regência do reino entre 1557 e 1562.

A rainha tinha imensa influência no governo do marido. O rei confiava plenamente na rainha, pois João III parecia ser indeciso.

Catarina via o irmão Carlos como o chefe de família. Os casamentos dos seus filhos com os seus sobrinhos foram ideia sua, de forma a reforçar o poder da sua família Habsburgo.

Faleceu no dia 6 de Fevereiro de 1578 e foi sepultada no Mosteiro dos Jerónimos.

Descendência:

Do seu casamento com o Rei D.João III teve os seguintes filhos:

  • Afonso, Príncipe de Portugal (24 de fevereiro de 1526 – 12 de abril de 1526), nascido quando a corte estava em Almeirim, a 24 de fevereiro e faleceu em abril do mesmo ano em Santarém, de grave doença na cabeça;
  • Maria Manuela, princesa de Portugal (15 de outubro de 1527 – 12 de julho de 1545), casou-se com Filipe II de Espanha e morreu de parto;
  • Isabel, Infanta de Portugal (28 de abril de 1529 – 22 de maio de 1530);
  • Beatriz, Infanta de Portugal (15 de fevereiro de 1530 – 16 de março de 1530);
  • Manuel, Príncipe de Portugal (1 de novembro de 1531 – 14 de abril de 1537), herdeiro em 1535;
  • Filipe, Príncipe de Portugal (25 de março de 1533 – 29 de abril de 1539), herdeiro em 1537;
  • Dinis, Infante de Portugal (16 de abril de 1535 – 1 de janeiro de 1537);
  • João Manuel, Príncipe de Portugal (3 de junho de 1537 – 1554), herdeiro em 1539. Deixou grávida a sua mulher, Dona Joana, que dias depois deu à luz o futuro rei Dom Sebastião de Portugal;
  • António, Infante de Portugal (9 de março de 1539 – 20 de janeiro de 1540).