Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

D. José Lobo da Silveira Quaresma, camarista do Rei D.Carlos I

09.04.19, Blog Real

D. José Lobo da Silveira Quaresma, 15.º barão de Alvito, 10.º conde de Oriola, e 4.º marquês de Alvito (11 de março de 1826 - 15 de novembro de 1917) foi Par do reino, por sucessão a seu avô, o 3.º marquês de Alvito, de que prestou juramento e tomou posse na câmara respectiva, na sessão de 1 de março de 1861; gentil-homem da câmara do rei D. Luís; comendador da Ordem de N. Sr.ª da Conceição de Vila Viçosa; grã-cruz das ordens da Coroa de Itália, de Carlos III de Espanha, e da Rosa do Brasil; oficial-mor honorário da Casa Real, camarista do rei o senhor D. Carlos; abastado proprietário nos distritos de Lisboa e de Beja.

Nasceu a 11 de março de 1826. É filho de D. Henriqueta Policarpa José António Lobo da Silveira Quaresma, 9.ª condessa de Oriola e 14.ª baronesa de Alvito, casada com António Luís de Sousa Coutinho, que pelo seu casamento ficou autorizado a usar do título de conde barão.

O senhor marquês de Alvito sucedeu a sua mãe; falecida a 7 de junho de 1858, na casa e referidos títulos. Casou a 2 de outubro de 1858, com D. Mariana Luísa de Sousa Coutinho, sua prima, primeira filha dos 15.os condes de Redondo, a qual faleceu em Lisboa, a 24 de abril de 1881. O título de marquês de Alvito em sua vida, e conde barão de Alvito, de juro e herdade, foi renovado por decreto de 15 de dezembro de 1861. O de oficial-mor honorário da Casa Real foi concedido por decreto de 1 de outubro de 1874, e carta de 21 de dezembro de 1876. O senhor marquês de Alvito, apesar de ser descendente de uma família miguelista, foi sempre liberal, e aceitou com reconhecimento, das mãos de D. Pedro V, o marquesado e os arminhos de par do reino. O rei D. Luís, em 1880, o convidou para seu camarista, lugar que conservou, junto ao rei o senhor D. Carlos.