Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

Seg | 15.01.24

Fernando Mascarenhas, 2.º marquês de Fronteira, mordomo-mor da rainha D. Maria Ana de Áustria

Blog Real

Retrato_equestre_de_D._Fernando_Mascarenhas,_c._1670_(Palácio_dos_Marqueses_de_Fronteira).png

Fernando Mascarenhas, 2.º marquês de Fronteira (4 de Dezembro de 1655 - 22 de Fevereiro de 1729) 

Senhor do morgado da Gocharia, donatário da mordomia-mor de Faro, que se compõe de certos direitos reais da referida cidade; comendador das comendas de S. Tiago de Torres Vedras, S. Nicolau de Carrazedo, e S. Miguel de Linhares, de Fonte Arcada; alcaide-mor e comendador do Rosmaninhal, com a alcaidaria-mor no da Guarda, todas na Ordem de Cristo; governador e capitão general do Algarve em tempo de paz, etc.

Nasceu a 4 de dezembro de 1655, faleceu a 22 de fevereiro de 1729. Era filho do 1.º marquês de Fronteira, D. João Mascarenhas, e de sua mulher, D. Madalena de Castro, filha de D. Francisco de Sá e Meneses, 3.° conde de Penaguião, camareiro-mor. 

Serviu na paz, sendo capitão de cavalaria na corte, e mestre de campo dum terço de infantaria. Fez parte da armada a Sabóia em 1682, como governador da nau Santo António de Pádua. Na guerra, em 1704, depois de ter ocupado o posto de general de artilharia, foi governador das armas na província da Beira, e com as tropas do seu partido se uniu ao exército dos aliados, comandado pelo marquês das Minas, que acompanhou a Madrid em 1706.

Depois do ano de 1709 teve a nomeação de governador das armas do Alentejo, e em 1710 a de vedor da Fazenda, da repartição dos Armazéns e Índia. Foi presidente do desembargo do Paço; em 15 de setembro de 1711 foi nomeado conselheiro de Estado, e em 1727 mordomo-mor da rainha D. Maria Ana de Áustria.

Foi também censor perpétuo da Academia Real de Historia, quando esta se instituiu em 1720, e na colecção das memórias dessa agremiação se encontram algumas contas dos seus estudos, e várias orações por ele recitadas. Herdou do seu pai o título de marquês e toda a sua casa. 

Casou com D. Joana Leonor Toledo e Meneses, filha de D. Jerónimo de Ataíde, 6.° conde de Atouguia, e de sua segunda mulher, D. Leonor de Meneses.

Fontes: https://www.arqnet.pt/dicionario/fronteira2m.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Fernando_Mascarenhas,_2.%C2%BA_marqu%C3%AAs_de_Fronteira