Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

A Monarquia Portuguesa

Este blog pretende ser o maior arquivo de fotos e informações sobre a monarquia portuguesa e a Família Real Portuguesa.

Rainhas de Portugal - Dulce de Aragão

18.10.19, Blog Real

Dulce de Aragão ou de Barcelona (em catalão: Dolça d'Aragóc. 1160 — Coimbra, 1 de setembro de 1198) foi uma infanta aragonesa e a segunda rainha de Portugal, de 1185 até a sua morte, em 1198.

A infanta Dulce era filha do conde Raimundo Berengário IV com a rainha Petronila de Aragão, com cujo casamento se juntaria a partir do final do século XIII o património que seria conhecido como a Coroa de Aragão, e irmã de Afonso I. Seus esponsais com o infante Sancho, que subiu ao trono em 1185, como Sancho I, filho do primeiro rei de Portugal, Afonso I, realizaram-se quando ela tinha cerca de onze anos de idade e seu casamento mais tarde em 1174. Pouco se sabe sobre sua vida antes de sua chegada ao Reino de Portugal ou o de seu dote ou arras, por ocasião do seu casamento.

"Formosa e excellente senhora, tranquilla e modesta, condizente no carácter com o nome", segundo Luciano Cordeiro,[7] a infanta Dulce foi usada como moeda de troca para selar uma aliança que serviu para fortalecer o novo reino de Portugal e "constituía uma boa defesa contra a tendência expansiva do reino e Castela (...). Significaba, ainda, que o fracasso inerente à ruptura do acordo conjugal da infanta Mafalda com o irmão de Dulce, o rei Afonso I de Aragão". A jovem Dulce cumpriu o papel esperado dela como esposa e mãe de uma vasta prole. Sancho I, em seu primeiro testamento feito em 1188, doou os rendimentos de Alenquer, terras do Vouga, de Santa Maria e do Porto, a sua esposa e ela ainda adquiriu outras propriedades no termo e sabe-se que foi, de facto, senhora de Alenquer.

Dulce não sobreviveu por muito tempo após o nascimento das suas últimas filhas, Branca e Berengária, que poderiam ser gêmeas. Faleceu em 1198, provavelmente por causa da peste e enfraquecida pelos partos sucessivos, tendo sido sepultada no Mosteiro de Santa Cruz, junto do marido.

Descendência:

D. Dulce teve onze filhos de D. Sancho I, com quem casou em 1174. Estos foram os infantes:

  • Beata Teresa de Portugal, (1175/76-1250), casou com o rei Afonso IX de Leão. Foi beatificada em 1705;
  • Beata Sancha de Portugal, (1180-1229), fundou o Mosteiro de Celas, nas proximidades de Coimbra, no qual viveu até à sua morte, e quem a levou para o Mosteiro de Lorvão, onde recebeu sepultura, foi sua irmã Teresa. Foi beatificada em 1705, no mesmo ano que sua irmã Teresa, pelo papa Clemente XI.
 
  • Constança de Portugal (1182-antes de 1186).
  • Afonso II de Portugal (1186 -1223), casou com Urraca de Castela, rainha de Portugal (1187 -1220).
  • Pedro (1187 -1258), infante de Portugal e conde de Urgel pelo casamento com Aurembiaix Armengol; foi também rei de Maiorca.
  • Fernando, infante de Portugal (1188 -1233), viveu no estrangeiro, casou com Joana da Flandres.
  • Henrique de Portugal, morreu em criança.
  • Raimundo de Portugal, morreu em criança.
  • Beata Mafalda de Portugal (1195/1196-1256), casada com o rei Henrique I de Castela,depois fundadora do mosteiro cisterciense de Arouca e sua primeira abadessa.
  • Branca, (1196/98-1240), provavelmente a irmã gêmea de Berengária, foi freira num convento em Guadalajara.
  • Berengária (1196/98-1221), casada com o rei Valdemar II da Dinamarca.